Inspire-se!

Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente, você estará fazendo o impossível.

São Francisco de Assis

.........................................................................................................

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Apenas Por Mim

 
(imagem tirada da internet)

Antes era eu somente.
Antes era somente você.
Depois éramos nós dois.
E, novamente, era eu somente.

Você tenta juntar os pedaços que restaram
Eu tento manter tudo como está.
Pegar todos os pedaços que restaram
E atirá-los ao vento.
Como quem atira seus sonhos ao destino.
Como quem recria outros sonhos
Partindo de uma folha em branco.

Antes era você
E era eu.
Éramos nós;
Contudo, estamos a sós.

Eu tentei suportar meus medos.
Escondê-los na gelidão do meu peito.
Mas você os pôs a mostra.
Vi-me vulnerável
Sem escudo.

E fiquei como quem cria outros medos
Partido de uma solidão cinza.
Solidão essa que deixou de existir
Quando me permiti ser feliz por mim.
Apenas por mim.


quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Vaidoso Desejo


(Imagem tirada da internet)


Pode parecer até uma pretensão absurda
O modo como o sol cintila no horizonte.
Como ele deixa seus raios chover sobre mim.
Banhando de luz minha manhã.
Tanta sutileza derramada por uma visão vaidosa.

Seriam meus sonhos nascendo de um desejo
Ou meus desejos que são concebidos nos átrios dos meus sonhos?
Seria amor o aquilo que outrora vingou no peito
Ou seria uma vontade presunçosa que isso fosse amor?
Acredito na primeira alternativa.

Então...
Que esse sol brilhe com todo amor pulsante em si mesmo.
Que esses sonhos desejem nascer com se fosse a primeira vez.
E que os desejos sonhem em um dia serem realidades vivas.

Pode até parecer ilusão acumulada
Ou uma inocência amadurecida pela vivência
A forma como ainda desejo que o futuro se aproxime depressa.
Deixar as sombras se dissiparem com a luz da manhã.
Tanto brilho injetado a cada abrir de olhos.

Seriam meus sentimentos acordando de um sono momentâneo
Ou um sono que me fez sentir que tudo estava como antes?
Seria um beijo aquilo que desejei com todo meu sentimento
Ou apenas um momento de solidão querendo arrego?
Acredito ainda na primeira alternativa.

Então...
Que eu seja maduro na minha inocência.
Que meus sentimentos acordem para mais um dia.
Que esse beijo seja sempre com você.
E que os desejos sonhem em um dia serem realidades vivas.


terça-feira, 22 de novembro de 2011

Mergulhe


(imagem tirada da internet)


É difícil recomeçar quando já se está acostumado ao de sempre.

Respirar fundo e olhar para trás.
Mergulhar suavemente no momento presente
E deixar o ar preso até o momento certo
De respirar puramente.

Mas você tem medo de mergulhar no desconhecido.

Você tenta dizer que não há razão
Para continuar tentando.
No entanto, não quer desistir
Desse mergulho às cegas.

E perde o medo de mergulhar no desconhecido.

O balanço calmo das águas te convida
Como se sereias lançassem encantos submersos.
Cantos límpidos e suaves.
Você respira fundo e se lança.

Sem medo, sem receio do que há de vir...
Apenas se lança...

Mas é difícil recomeçar
Quando já se está acostumado a viver em terra firme.


sábado, 12 de novembro de 2011

Muros e Ventos


(Imagem tirada da internet)




São apenas muros
Que eu construí com cautela.
Arrames farpados em torno dos meus medos.
Medos adornados de lágrimas.

Eu deixei que o vento oriundo do oeste
Circundasse minha pele quente.
Deixei que o ar da minha expiração
Dançar com ele
Numa mistura invisível.

Nas minhas ultimas memórias eloquentes
 Cercadas por esses muros
Que separam os olhos alheios dos meus e dos teus
Deixo-me descansar.
Embalado pelo vento que outrora passeou por minha carne.

Então, fecho meus olhos.
E, por favor, feche os seus e dance comigo.
Enquanto encontro coragem dentro da alma
Suficiente para derrubar esses muros.


domingo, 6 de novembro de 2011

Nunca Quebre Uma Promessa


 
(Imagem tirada da internet)


Eu continuo acreditando em promessas.
Verdadeiras ou não, eu ainda acredito.
Essa minha velha mania de achar
Que tudo pode ser diferente.
A mesma mania que faz meu peito sangrar.

Ainda vejo sinceridade nas palavras,
Mas acabo torcendo meu tornozelo
Nesse passo dando.
Nessa outra chance que penso ser a última.

Deixo você se apossar novamente dos meus suspiros.
E acabo sem ar, de cara lavada.

Eu continuo acreditando em promessas.
Não sei até quando.
Hoje? Agora? Até amanhã?
Não sei dizer, mas saiba que quando deixar de acreditar
Você não terá mais como contemplar o brilho dos meus olhos
Nem o gosto doce dos meus beijos.

Deixo você se apossar novamente dos meus suspiros.
E acabo sem ar, de cara lavada.
Porque promessas quebradas magoam como espinhos.


quinta-feira, 3 de novembro de 2011

És a Lua


 
(Imagem tirada da internet)


Olhar das noites calmas e sem muitas nuvens.
Sorriso do céu escurecido.
Marca dos enamorados
És tu dama alva.

Encanto dos corações cativos.
Hipnotizante brilho da noite.
Inspiração dos poetas
És tu dama tão cheia.

Espelho da luz do dia.
Senhora das águas dos mares.
Motivo das mudanças marítimas
És tu dama tão límpida.

Tão encantadora, inspiradora e apaixonante.
Enigmática, solitária e bela.
És tu, dama cintilante do anoitecer.

Que reflete uma luz alva.
Que de fase em fase se apresenta.

Um dia grande como soberana da noite.
Outro dia humilde em sua pequenez.
Mas que em nenhuma delas deixa de ser você
Lua, dama das noites poéticas.



quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Forte na Fraqueza


 (Imagem tirada da internet)



Nas margens ilusórias das minhas contradições interiores,
Ludibriado por minha fragilidade momentânea.
 Buscando minhas virtudes adormecidas
Que hibernam sem prazo para despertar.

Eu amo a forma como somos fortes nas nossas fraquezas.
Quando é nelas que descobrimos todo potencial
Guardado em cada artéria dilatada e aquecida do nosso corpo.

Nas entrelinhas da minha história tão espontaneamente escrita
Compõem-se minhas alegrias em forma de surtos momentâneos de sorrisos
Ingênuos o bastante para não acreditar em ingenuidade.
Apenas buscando minhas virtudes adormecidas
Em um peito sedento de amor.

Eu amo a forma como somos fortes nas nossas fraquezas.
Quando é nelas que vemos o quanto podemos vencer
Essa luta que decidimos chamar vida.

Quem seria o culpado das nossas fraquezas?
O destino? Nós mesmos? O tempo? O medo?
Ninguém se move contra a culpa.
Somos os culpados?
Sou eu o culpado de ser forte ou de ser fraco?
Sim! Se me permito ser fraco.
Não! Se não me permito ser e não consigo.

Eu amo a forma como somos fortes nas nossas fraquezas.
Quando é nelas que descobrimos todo potencial
Para vencer nessa luta diária chamada por nós de vida.
A simples e complicada vida.


sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Eu Acredito


(Imagem tirada da internet)


Eu acredito
Nas faíscas reluzentes do teu olhar.
Quando me dizes tudo que ocupa teu interior.
Quando me encontro no teu interior.

Eu acredito
Quando meu coração diz que dentro dele você habita
E que precisa disso para continuar a sorrir,
Que precisa do teu coração para sorrir.

Eu acredito
Que não sou mais eu, somos você e eu.
Meus pulmões precisam do teu ar para respirar.
Sentir o ar quente correr por eles e respirar.

Eu acredito
No teu olhar me falando coisas sem pronunciar uma única palavra,
Nas promessas futuras, nos sonhos, nos sorrisos.
No desejo de poder sentir isso pelo resto da minha existência.

E eu acredito...

Acredito que será para sempre.
E mesmo que muitos digam que o “para sempre” não exista,
Passará a existir, de agora em diante,
Porque, simplesmente, eu acredito!
E acreditar faz toda diferença.


Força



(Imagem tirada da internet)



Esse mês minha força quer descansar,
Agüentou mais que podia.
Segurou por muito tempo
A corda a qual estou a segurar na outra extremidade.

Força não corra de mim,
Não me abandone à fraqueza.
Não agora que suportei demais,
Que fui forte como nunca.
Não agora que meu coração precisa mais de ti.

Diz isso... Diz que ainda terei uma dose de você
Até que chegue o dia que meu peito jubiloso sorrirá.

Até que o tempo resolva caminhar mais depressa.
E eu encontre o aconchego de um abraço
Por tanto tempo esperado.
Força lembre-se que você me mantêm acordado.
E se você partir poderei ser inundado
Por outra força ― a das lágrimas úmidas.

Diz isso... Diz que ainda terei uma dose de você
Até que chegue o dia que meu peito jubiloso sorrirá.
Sorrirá com júbilo.


Pequeno Coração²



(Imagem tirada da internet)

Pequeno coração,
Por que se sente assim?
Há tanto amor dentro de você
Que chega a emergir pelos poros da pele
E desce como rios de lágrimas pelos olhos.

Pequeno coração,
Distancie essa tristeza.
Não tente segurar o pranto agudo
Aprecie a cura que te é dada pelo amor.
Fique quieto, pequeno coração.
Fique quieto...

Coração minúsculo, frágil como cristal.
Forte como diamante pode se tornar.
Aprecie a cura que é dada pelo amor.

Pequeno coração,
Por que se sente assim?
Não deverias estar sorrindo?
Mate a angústia e a mágoa em você.
Coração minúsculo
Fique quieto.

Significante coração, frágil como cristal.
Forte como diamante pode se tornar.
Aprecie a cura que é dada pelo amor.

Mas se preferir,
Deixe nesse brando pranto uma lágrima rolar.


  *Inspirado em "Tiny Heart" by Flyleaf

Quem Devo Ser


(Imagem retirada da internet)


Sinto nas pontas dos meus dedos
Esse toque macio de felicidade
Que paira ao meu redor.
É só um sorriso brando de ternura.
É só um sorriso e um pouco de candura.
Sinto próximo ao meu rosto
Esse toque doce de felicidade
Que beija meus lábios.
É só o sorriso sincero da esperança.
É só um sorriso e um pouco de confiança.
Sinto-me presente no seu passado
E confiante no nosso futuro,
Sinto-me mais eu.
Sinto quem devo ser.


quarta-feira, 19 de outubro de 2011

No Fim um Novo Começo


(Imagem tirada da internet)


São só cicatrizes marcando sua pele. E no seu olhar vazio pode-se ver um pedido de ajuda. Tiraram o que ela mais apreciava. Em seu peito há um suspiro acorrentado. A respiração ofegante não é o único sinal de vida aparente. Há uma lágrima solitária percorrendo seu rosto.
Ela considera a hipótese de entregar os pontos e deixar o último suspiro partir para além do sofrimento daquele momento. Mas ela sabe que sua força é inquieta e não permitirá uma entrega fácil. Contudo, só há sussurros. Os sons dissiparam-se sem deixar ecos.
Ela sente sua mão ser erguida. Há luz... Há um caminho... Há uma esperança... A luz é branca. E ela sorri... Distante. A mão da vida a segura e seu suspiro é retido preenchendo seus pulmões novamente com o sopro da vida. Mesmo no ultimo momento de força, a vontade de continuar respirando prevalece. Sentindo como se tivesse nascido novamente. Outra vida, outra luz... Outro caminho. Houve esperança. E a mesma luz branca, que é a união de todas as outras cores, simboliza o mais puro e inquietante desejo de viver.


sábado, 15 de outubro de 2011

Meio Dia


(Imagem tirada da internet)

Nunca olhei tão profundamente
A ponto de encarar todos os meus medos interiores.
Cada toque está a ponto de rasgar
O tecido fino que envolve minha saudade.
E em meio às paredes se encontra um pensamento.

Eu acendi a luz e estou sorrindo.
Pronto para receber teu sorriso.

Meio dia, outro dia.
As duvidas anteriores, aquelas interiores
Dissiparam-se como poeira fina.
Cada sussurro me dá certeza de que será por muito tempo.
Até quando isso me fizer liberar
Um sorriso capaz de preencher meu peito.

Acendi a luz e estou cantando.
Pronto para receber sua voz.

Você se lembra o quanto dizíamos estar felizes?
Essa sensação volta hoje, por você.
E eu me permito senti-la novamente, agora.
Não da boca para fora.
Digo porque esse sorriso não me deixa mentir.

Acendi a luz no meu peito e estou respirando.
Pronto para viver e receber-te novamente.
Por longos e longos períodos de felicidade.


domingo, 2 de outubro de 2011

Olhe para mim


(Imagem tirada da internet)


Sinto minha mente vazia,
Mas com meu espírito pleno.
Não sei como deixar fluir o que estou sentindo.
Então desejo erguer meus braços o mais alto possível,
Alcançar as nuvens e receber o máximo
De bênçãos que possa ser derramado.

Não escondo mais meu rosto.
A vergonha não é algo que eu possa ter em demasia.
Deixo que meu sorriso reflita nos olhos alheios.
E me abraço em um suspiro aliviado.

Então, mostre-me como deixar essas palavras fluírem.
Mostre-me onde foi parar minha inspiração.

Meus dias são mais meus.
E meu peito quis respirar longe de tudo.
Meu coração parecia estar em uma encruzilhada.
Aonde ir? O que fazer?
Largar tudo ou suportar tudo?

Mostre-me como deixar esses pensamentos constantes.
Mostre-me onde foram parar meus sentimentos.

Diga deixe a chuva molhar meu rosto
Enquanto eu danço com meus sentimentos confusos.
Enquanto eu me deixo repousar nos seus braços novamente.
Através de todas as palavras ditas e sonhos vividos
Apenas olhe para mim e sorria.

sábado, 17 de setembro de 2011

Por Hoje Resolvi



Hoje resolvi cruzar os braços.
Sempre busco manter as coisas funcionando
Como acredito que devam funcionar.
Sempre segurando as pontas de tudo.
Mas não hoje, não agora.
Eu resolvi cruzar os braços.

Sabe a sensação de não querer mais tentar agradar?
Pois é, vou deixá-la descansar.

Hoje resolvi que sou só eu e meu quarto.
Nada de mostrar meu rosto na rua.
Eu preciso de um tempo a sós comigo.
Sempre sou eu e o mundo.
Mas hoje não, não agora.
Eu resolvi que sou só eu e meu travesseiro.

Sabe aquela vontade louca de conversar?
Pois é, mandei-a passear.

Hoje resolvi não me importar.
Cansei de coisas tolas.
Cansei de buscar sempre me sentir seguro.
Vou esperar a segurança se manifestar.
Hoje e agora
Resolvi não mais me importar.


sábado, 20 de agosto de 2011

Resta-me o Sonho


(Imagem tirada da internet)


Eu vi algo escrito na areia da praia.
Tive um sonho onde ondas vinham banhar meus passos.
Braços erguidos,
Eu tenho te sustentado dentro do peito.
Segurando a todo custo suas lágrimas
E partilhado tudo de mais belo em mim.

Eu vi algo caído na areia da praia.
Sonhei que eu era seu único suspiro.
Ar dos teus pulmões.
Eu tenho buscado teus sussurros onde abandonaste teu cheiro.
Meu mar de desejos guardados para você.
Caminhando de pés descalços na areia.

Eu vi algo escrito na areia da praia.
Tive uma visão de como seria meu futuro ao teu lado.
Sonhador? Eu?
Eu tenho sonhado menos e vivido mais.
Segurando a todo custo a vontade de gritar.
Erguendo os braços para o céu.
E construindo meu castelo de bravura.

E eu vi algo escrito na areia da praia
Mas antes que eu conseguisse ler
O mar molhou meus pés como no sonho,
Levando junto todas as letras.
Restando-me apenas o sonho.


sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Vidraças Empoeiradas


(imagem tirada da internet)


Não! E mais uma vez não!
Pare de importunar meus ouvidos.
Não! Dessa vez não.
Sou grande demais para me render
E pequeno demais para acreditar no frio da sua voz.
Que coisa mais gélida!
Não tente destruir minha força.
Não importa o quão alto minha fortaleza esteja
Eu ainda posso supri-la de coragem.
Sinto-me mais próximo de mim.
Centrado no meu interior.
Porque o amor me faz livre.
A liberdade me circunda qual oxigênio.
Sim! Eu abrirei meus braços para as bênçãos.
Olharei através das vidraças empoeiradas.
Vislumbrarei meu horizonte tão próximo que sentirei seu calor.
Sentirei meu pulsar mais vivo.
Mais quente.
Mais ávido por vida.
Sentirei que estou crescendo
E que não sou mais aquele mesmo menino.
Sou alguém que deixou de acreditar
Em Papai Noel e Coelho da Páscoa,
Mas que ainda acredita
No único sentimento capaz de tornar forte
Toda e qualquer faísca de esperança:
A caridade.



quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Eu Poderia


(Imagem tirada da internet)


Eu posso ver refletindo nas gotas da chuva
O abrandar das minhas lágrimas.
E quando eu fecho os olhos percebo um sorriso
Nascendo trepidante, hesitante.

Porém, sem esperar nós sempre sangramos.
Dobramos os joelhos novamente.

Eu poderia virar as costas e partir.
Abandonar quem me tornei e buscar nascer outra vez.
Mas percebo ser quem sempre fui.
Dessa vez, crescido com meus erros.
Outra vez, feliz por ser quem me tornei.

Apesar de dias felizes sem esperar sempre sangramos.

Houve um dia em que tentei virar as costas e correr
O mais longe que pudesse ficar de mim mesmo.
Contudo, o amor não permite separação.

Apesar de dias felizes sem esperar sempre sangramos.

E o que estanca essa hemorragia
É o sentimento que habita em mim
Por ser quem eu sou.


terça-feira, 9 de agosto de 2011

Teu Cheiro



(Imagem tirada da internet)


Um segundo se vai
E meus abraços procuram matar a saudade.
Mais outro segundo que passa
E meus dedos ainda procuram sentir seu toque.

Não é tão fácil como se pensa.
Ainda procuro você no cheiro
Que tanto marca meu travesseiro.

Quando a noite deita silenciosa
Abraço meus pensamentos e neles te procuro.
Um sorriso eu deixo escapar
E com ele uma saudade aperta meu peito.
Sem piedade ela machuca.

Não é tão fácil como se pensa.
Ainda imagino seus olhos a fitar os meus.

Só espero que esse tempo logo caminhe.
Que os minutos conspirem para outro encontro.
Que possamos relembrar os momentos.
Só espero que teu cheiro marque meu travesseiro novamente.



domingo, 7 de agosto de 2011

Faça-a Acordar


 
(imagem retirada da internet)


Eles tentam acordar sua única alegria.
Adormecida atrás dos seus lábios.
Essa nostalgia escorre em veias dilatadas,
Flui tão perfeitamente como vento viajante.

Mil léguas de distância
Não se acorda apenas por deixar de dormir.
Seus punhos fechados contra a parede
Abre uma ferida indiscreta e intolerante.
Eles tentam acordar seu último sonho.

Adormecida atrás dos seus pesadelos.
Acordando enquanto se esquecer de sonhar.
Elevando tão alto seus projetos.
Nasça de uma gota e cresça em uma enxurrada.

Eles tentam amar suas próprias mentiras.
Caem nas ciladas que armam para si.
Tentam acordar sua única alegria
Que dorme numa espécie de hibernação.

Há dezenas de léguas de si mesmos.
Não se vive com medo da vida.
Pegue os pedaços que juntou por anos
E monte um castelo interior.
Faça da sua felicidade uma fortaleza inabalável.

Acorde a única alegria que resta escondida atrás dos seus lábios.

sábado, 23 de julho de 2011

Um Dia


(Imagem retirada da internet)


Nessas paredes esses retratos.
Passado em lembranças vazias.
 Uma luta constante.
E a felicidade envolta por esperança.

Ele sorri tentando disfarçar,
Mas aparentemente em seu sorriso forçado
Ele chora interiormente.
Chega uma hora, um instante
Em que seu sorriso já tem suportado por demasia.

Uma noite, um dia
Destreza aprendida com a vida.
Choro em pele de sorriso.

Uma noite, um dia
Medo de tudo ter mudado por nada.
Sorriso docemente acordado.

Um dia, uma noite.
Acordando de um sonho.
Sentindo-se humano novamente.

E mais um dia.
Felicidade envolta por esperança.
Seu sorriso docemente acordado.

E por mais que haja beleza nos sorrisos verdadeiros
Lágrimas sinceras purificam a alma das dores silenciosas e confusas.


sexta-feira, 8 de julho de 2011

Em Cada Escurecer


 
 (Imagem retirada da internet) 



Se tivesse no paladar o real sabor das palavras
Saberia que elas podem ser como líquido adocicado ou veneno perverso.
 Podem construir um sentimento sincero
Ou aniquilar qualquer resquício dele que possa ainda existir.

Se soubesse ler o que os olhos falam
Sem pronunciar palavra alguma
Saberia o quanto um olhar pode acalmar uma alma
Ou perturbar qualquer sentimento que ainda possa existir.

Eu disse que tudo estava bem.
Que mal há em uma mentira?
Só espero o momento em que minha força ganhará aliados
E poderei parar e sair disso antes de maiores lesões.

Se imaginasse o quanto pode estar perdendo ao brincar dessa maneira.
                                                                                 
Então eu seguro.
Seguro cada palavra incompreensível.
Insultos gritam pedindo passagem.

Respiração ofegante... Eu seguro.
Mente cansada... Eu seguro.
Olhos pesados e fatigados... Eu seguro.
Eu seguro em cada escurecer o peso da responsabilidade.

A vontade de largar tudo e fugir para além dos problemas domina.
Ela simplesmente me segura.
E se imaginasse o quanto pode estar perdendo
Saberia que pessoas se cansam daquilo que lhes causam mágoa.
Descobriria que a qualquer momento podem despertar desse sono cego.


sábado, 2 de julho de 2011

Riscos e Rabiscos



(Imagem retirada da internet)


No começo o dilema: O que será do amanhã?

Riscando as paredes e rabiscando o chão.
Traçados desajeitados, sem capricho algum.
Escrever sua própria história artificial
Sem tempo de sair da folha de rascunho.

Permanecendo a pergunta:
O que escreverei amanhã?

Às vezes a vontade que se tem é de largar a caneta
Ou no mínimo começar a escrever tudo do nada.
E deixar que flua o que não tenha sido ensaiado.
Tornar uma história inventada em algo real.

Podemos tentar escrever algo, sozinhos.
Podemos deixar que outrem escreva conosco.
O que não podemos é deixar
Que alguém escreva a história que a ti pertença.

Permanecendo a pergunta:
O que escreverei amanhã?

Ser autor da própria história.
Buscar realizar os sonhos.
Compartilhar com alguém.

Viva, corra, cante e escreva com coragem sua dramaturgia.
Cada um é responsável por cada risco e rabisco na página da sua própria vida.



sexta-feira, 24 de junho de 2011

Olhos da Alma


(imagem retirada da internet)


Não há escuridão apenas quando há ausência de luz. Há escuridão quando se tem falta de amor.


...
Luz das almas quebradas.
Forças dos abraços separados pela distância física.
Confiança nas palavras ditas ontem e hoje.
No amor todo gesto de carinho é indispensável.

Luz dos olhos enamorados.
Sentimento supremo de ser e possuir alguém
Mesmo sem contrato de propriedade.
Apenas uma união de almas.
União de corpos que se atraem como dois ímãs

Luz dos sorrisos sinceros.
Dos beijos ardentes.
Dos abraços apertados.
Dos olhares concentrados.

Essa luz ímpar que penetra pelos olhos e atinge o peito
É a luz que ofusca esses mesmos olhos
Mas dá outra forma de visão
Que creio ser a visão mais verdadeira
 Que se poderia ter de alguém.


Porque o amor não deixa ninguém cego, apenas fecham-se os olhos do corpo e se abrem os olhos da alma. Então, passamos a enxergar com o coração.


...
Algumas das imagens contidas nesse blog foram retiradas da Web. Se acaso alguma fotografia lhe pertença entre em contato e ela será removida ou receberá os devidos créditos (fica a critério do autor da imagem).


© gdeinspiracao.blogspot.com. Todos os direitos reservados. A cópia ou reprodução parcial ou total não-autorizada de qualquer obra contida nesse Blog está estritamente proíbida.

Plágio é crime!